domingo, 26 de abril de 2015

A VERDADEIRA LIBERDADE E A FALSA .

sábado
Portanto, se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres. [João 8.36]
Existem dois tipos de liberdade. A primeira é uma falsa liberdade, dos falsos discípulos. Essas pessoas querem liberdade para satisfazer os seus desejos. Elas se tornam cristãs por causa disso, assim como as pessoas dessa passagem, que se tornaram seguidoras de Cristo porque haviam ouvido que seus seguidores eram pessoas devotas, boas, pacientes e gentis, não pessoas sedentas por vingança.
Seus seguidores davam aos pobres com liberalidade e eram generosos. Eles também haviam ouvido que seus seguidores adoravam a um Deus misericordioso, não a um deus irado. Quando eles ouviram tudo isso, gostaram da ideia de que os crentes os ajudariam e os serviriam. Então disseram: “Eu irei amar que os outros deem algo para mim, que me sirvam e me perdoem. O Senhor Deus também perdoará os meus pecados e me ajudará a entrar no céu”. Eles se alegravam por ser aqueles que receberiam tudo isso.
Contudo, pessoas como essas são salafrárias e não querem deixar suas vidas de pecado e idolatria, nem dar qualquer coisa a alguém. Elas querem viver uma vida de imoralidade sexual e agrado a si mesmas, da forma como viviam antes de chegarem a Cristo. Porém, elas também querem ser consideradas cristãs. Esses são falsos discípulos, que somente querem liberdade para os seus desejos físicos. Louvam o evangelho e, no princípio, seguem-no com determinação. Logo em seguida, passam a fazer o que querem, seguindo os seus maus desejos e suas concupiscências. Tornam-se piores e mais indecentes do que antes. Ficam mais presunçosos, rudes e ambiciosos. Eles até roubam mais que outras pessoas.
O segundo tipo de liberdade é a verdadeira liberdade, dos discípulos genuínos. Aqueles que se apegam à Palavra de Deus e resistem, sofrem e toleram o que é necessário, esses são aqueles que serão libertos. Eles se tornarão cada dia mais fortes.
Retirado de Somente a Fé – Um Ano com Lutero. Editora Ultimato.

sexta-feira, 20 de março de 2015

Um Mundo, Uma Crise, Uma Moeda Corrente

Um Mundo, Uma Crise, Uma Moeda Corrente

Wilfred Hahn

Ordem mundial protelada ou um desvio?

Uma nova ordem mundial? Dificilmente pareceria que sim. Admitimos que o globo tem estado um tanto desorganizado. Pânico e ações desesperadas definem melhor os tempos por toda parte, não a ordem e os soldados rasos. Em determinados momentos, pode-se pensar se já chegou aquele dia sobre o qual foi profetizado, no qual as pessoas jogarão suas pratas nas ruas (Is 2.20; Ez 7.19). Entretanto, aquele colapso final profetizado ainda não está aqui; as profecias de Ezequiel e de Isaías se referem a condições que ocorrerão nos últimos estágios da Tribulação, provavelmente mais perto do tempo do sexto selo.
Em minha opinião, a CFG (Crise Financeira Global) será um importante ponto de partida para a futura coalizão dos dez reis mencionados no Apocalipse que, durante uma hora, darão autoridade ao Anticristo. Este é o ponto extremo e o objetivo diabólico do globalismo que a Bíblia profetiza. A intenção da humanidade ao buscar “o céu na terra” deve chegar a este fim. Tal conclusão é inevitável à religião. Se a prosperidade material é a rota com a qual se concorda para chegar à paz mundial – esta sendo a agenda humanística – então tudo o mais estará comprometido com esta finalidade. Grandes crises globais certamente são expedientes para forçar um consenso e acelerar a velocidade para aquele ponto de destino.
Como esta é a cosmologia básica da profecia bíblica com respeito ao globalismo, devemos parar de comentar sobre a histeria “cristã” que tão freqüentemente é dirigida a este tópico.

A futura ordem mundial única

Montanhas de papel e oceanos de tinta já foram gastos nas especulações dos detalhes exatos, das pessoas e dos planejamentos futuros das elites globais que estão dirigindo o processo do globalismo mundial. Este autor preferiu ficar longe dessas especulações e da freqüente histeria associada a este tópico em geral. Ele não é necessário nem proveitoso. Logicamente, se você gosta de romances de ficção, ou simplesmente tem fascínio por teorias da conspiração, tem liberdade para se dar a esse direito. No que se refere à coalizão de poder mundial final dos dez reis, nada mais precisa acontecer a não ser que dez nações se unam com poder suficiente para dar ao Anticristo, permitindo a ele que subjugue os negócios mundiais e inicialmente coloque em vigor as propostas de paz. Embora seja verdade que os “sinais dos tempos” em geral, com respeito à rápida tendência de globalismo, sejam claramente observáveis hoje, não é provável que já encontremos um gráfico organizacional bom e nítido definindo o andamento de uma ordem mundial em desenvolvimento ou o surgimento dos últimos dez reis.
Muito sobre a vindoura ordem mundial escrito hoje é inventado e sensacionalista e pode nos atrair para um perigoso erro.
Nesse sentido, muito sobre a vindoura ordem mundial escrito hoje é inventado e sensacionalista e pode nos atrair para um perigoso erro. Por quê? Considere a identidade e a natureza do inimigo. Ele não é um mero ser humano. É importante nos lembrarmos de que “...a nossa luta não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças do mal, nas regiões celestes” (Ef 6.12). Se deixarmos de considerar essa hierarquia organizada de adversários espirituais nos assuntos das pessoas, o mundo enganosamente impedirá a nossa visão. Simplesmente analisar o que é visto ou lido nos jornais também não produzirá uma conclusão correta. Afinal, é esta recusa em ver além do âmbito físico tridimensional que fundamenta a cegueira que vemos hoje na maioria dos campos de atividade humana, especialmente na economia e na geopolítica. Portanto, os responsáveis pelas questões mundiais “...não sabem os pensamentos do Senhor, nem lhe entendem o plano que os ajuntou como feixes na eira” (Mq 4.12).
A seguir, reconhecemos que existe uma armadilha cuidadosamente planejada, dos últimos dias, a caminho, armadilha que vem se desenrolando há um longo tempo e levada adiante, sendo cada vez mais incrementada, por milhares de pequenos anticristos, pelo passar dos séculos (1 Jo 2.18; 4.3). E, de fato, se uma armadilha está sendo preparada, deve haver então tanto um “armadilhador” quanto um “armadilhado”.“Cairá a ave no laço em terra, se não houver armadilha para ela?” (Am 3.5). Amós chega a uma conclusão simples de que, se uma armadilha é montada, então deve haver uma presa em vista. Já ficou estabelecido que há uma armadilha. Quem é a presa? A Bíblia nos informa claramente que há dois recipientes separados (mas inter-relacionados) das promessas de Deus: a Igreja e Israel. Esses dois, tanto corporativamente como seus membros como indivíduos, são o alvo.
Finalmente, devemos reconhecer que existe uma inteligência muito capaz, um articulador diabólico, um acusador dos irmãos, um perseguidor dos fiéis, um inimigo de Cristo, em ação: o adversário mestre, que é o próprio Diabo. Portanto, o desvio, a distração e o engano são estratégias chave que devem ser percebidas com antecedência. Se os planejamentos nefastos e maus fossem tão óbvios ou ostensivos, Satanás não poderia facilmente armar uma armadilha enganosa e efetiva para o mundo.
Isto se encaixa no caráter geral dos últimos dias, a saber, os nossos tempos. A Bíblia diz que o mundo todo é tomado pelas trevas nos últimos dias, especialmente durante o período da Tribulação. Uma série de profecias alerta-nos para essa característica do período do fim. “Porque eis que as trevas cobrem a terra, e a escuridão, os povos” (Is 60.2). “Não será, pois, o Dia do Senhor trevas e não luz? Não será completa escuridão, sem nenhuma claridade?” (Am 5.20). As trevas e o mal são marcas desses tempos. O mal espreita sob a cobertura das trevas e o caráter do mal é agir na escuridão. “O julgamento é este: que a luz veio ao mundo, e os homens amaram mais as trevas do que a luz; porque as suas obras eram más. Pois todo aquele que pratica o mal aborrece a luz e não se chega para a luz, a fim de não serem argüidas as suas obras” (Jo 3.19-20).
Embora a Europa tenha se unificado de uma forma notável durante os últimos cinqüenta anos, a coalizão final das dez nações ainda não é óbvia.
Dadas tais condições do final dos tempos, é de se duvidar que fôssemos capazes de ver uma coalizão de dez reis se formando, certamente nada tão óbvio quanto uma estrutura governamental global monolítica ou uma única moeda corrente mundial. Embora a Europa tenha se unificado de uma forma notável durante os últimos cinqüenta anos, a coalizão final das dez nações ainda não é óbvia, certamente não é identificável em detalhes exatos. Embora nos sintamos pressionados a declarar uma resposta segura a muitas questões em aberto que ainda permanecem com relação à profecia do final dos tempos, não devemos fazer isso. Conclusões erradas podem levar a um mal maior e, pior de tudo, a uma vulnerabilidade grave e a uma cegueira letal para os acontecimentos que estão em andamento que podem estar bem debaixo do nosso nariz. É melhor continuar observando, discernindo as estações e permanecendo aberto a fatos comprovados, tanto antigos quanto atuais e o que a Bíblia revela de fato, nada mais.
Potencialmente, as interpretações mais enganosas das profecias do final dos tempos são aquelas que concluem que determinados acontecimentos devem ainda ocorrer, portanto, concentrando-se no cristão do futuro e não em sua atual preparação para o retorno de Cristo. Pode ser um ponto sutil, mas é muito importante. As teorias globais de conspiração, a vindoura nova ordem mundial e a moeda única para o mundo são todos temas que podem ter um papel de invocar a histeria, distraindo-nos de nosso enfoque adequado.

A moeda corrente única de fato já foi lançada

Já estamos muito avançados nos últimos dias. Não precisamos ser distraídos por eventos aguardados com relação às profecias. O retorno iminente do Senhor não é impedido por nenhum pré-requisito como acontecimento futuro. Embora o conceito de iminência signifique que o Senhor pode aparecer a qualquer momento, ainda que isso não seja tecnicamente correto, podemos dizer que Sua vinda é agora mais iminente do que nunca!
Todavia, é provável que a linha escatológica do tempo seja muito depois do que cremos. Neste sentido, há uma afirmação que se pode fazer de que o globalismo já avançou além do que possamos perceber, de forma que a Tribulação possa começar a qualquer momento.
Contudo, um acontecimento proeminente que muitos observadores afirmam ser necessário para precipitar determinados eventos do final dos tempos é o aparecimento de uma moeda corrente global. Esta é uma tentativa de desviar o assunto. Efetivamente, uma moeda corrente mundial única já existe. Você pode estar surpreso por ouvir este último comentário: o mundo já funciona como se tivesse uma única moeda corrente padrão. Como assim? Considere que virtualmente 99,9 por cento de todo o fluxo monetário entre fronteiras do mundo hoje são realizados por grandes instituições financeiras, bancos centrais, grandes fundos de pensão, fundos fechados de cobertura (hedge funds) e corporações. Para esses “importantes personagens”, o dinheiro já é líquida e certamente “dinheiro global”. Para aqueles que estão fora desse sistema, ele pode parecer confuso e complicado. Mas, na verdade, um sistema financeiro mundial firmemente interconectado funciona virtualmente através de todas as moedas correntes. Ainda há moedas separadas no nome, mas tudo é parte de um sistema monetário global. Vale a pena fazermos uma explicação breve sobre como isto funciona.
Você pode ficar surpreso ao ouvir este comentário: o mundo já funciona como se tivesse uma única moeda corrente padrão.
De acordo com uma pesquisa realizada pelo Bank of International Settlements(BIS), aproximadamente 90 por cento de todas as transações em moedas envolvem apenas dez moedas correntes. Todas essas moedas podem ser cobertas, trocadas, ou fixadas em um longo futuro através do uso de vários instrumentos financeiros sofisticados. Por exemplo, essas facilidades permitem que corporações multinacionais movam as peças do seu xadrez financeiro por todo o mundo como se houvesse apenas uma moeda corrente.
Onde está a evidência? Algumas fontes excelentes estão disponíveis ao público. Vários relatos desse tipo são fornecidos pelo BIS. Por exemplo, uma vez a cada três anos, essa agência publica um relatório sobre o comércio mundial de moedas correntes. O que esses relatórios revelam? Primeiro, que o câmbio de moedas estrangeiras é a maior, verdadeiramente enorme, atividade financeira dentre todos os tipos do mundo inteiro. Em 2004, mais de $1,9 trilhões em moedas correntes foram cambiados todos os dias úteis da semana. Certamente esses números aumentaram amplamente desde então.
Contudo, no início dos anos 1970, essas transações eram responsáveis por apenas US$ 18 bilhões por ano. Imagine! Hoje, no máximo trinta e cinco anos mais tarde, essa quantidade de câmbio é feita a cada treze minutos – um volume que cresceu 27.500 vezes em pouco mais que três décadas. (Esta é uma quantidade equivalente a mais que doze vezes o produto econômico mundial total do ano inteiro!)
O que vemos em ação nos mercados de câmbio internacionais hoje tomou forma muito rapidamente, acelerando marcadamente depois de 1970. Quando eu era um jovem diretor de pesquisas para uma importante empresa de Wall Street, fui alertado com relação a essas tendências muito cedo, simplesmente ao ler os relatórios disponibilizados pelo BIS e por outras organizações transnacionais. Já em meados dos anos 1980, a grande arquitetura tomando forma podia ser discernida. Observando essas rápidas tendências, lembrei-me quão estupefato fiquei. O que vem acontecendo desde aquele tempo é simplesmente espetacular, fazendo com que as tendências daqueles dias lá atrás se pareçam com meras gotas no oceano.

Discernindo entre floresta de dinheiro e árvores

Será que é provável que o mundo algum momento presencie a moeda corrente mundial única, significando aquela moeda corrente óbvia que podemos chamar pelo nome e depositar em um banco 24h em qualquer lugar do mundo? Em minha opinião, é certamente possível, mas não é necessário. Um sistema financeiro globalizado já está interconectado como se estivesse operando com uma única moeda padrão. Portanto, ficarmos com uma idéia fixa sobre a moeda mundial única e soarmos o alarme todas as vezes que há um relatório sobre um plano de unificação da moeda provoca um desvio da questão mais importante.
Alguém pode argumentar que uma moeda única é um indicador óbvio demais da hora avançada dos processos do final dos tempos. Será que Satanás permitiria que seus artifícios enganosos fossem tão transparentes, até mesmo para pessoas sem discernimento e não espirituais? Nessa visão, uma moeda única seria algo óbvio demais, o que não é necessário, em todo caso. No entanto, uma pessoa pode certamente viajar o mundo todo como se a moeda fosse única. Simplesmente vá a uma máquina de banco 24h em Tóquio ou em Tel-Aviv (ou em quase todas as cidades mais importantes do mundo) e a máquina vai convenientemente repassar a você notas de yen ou shekel, respectivamente, debitando em sua conta bancária em sua moeda local. Efetivamente, seu cartão de crédito ou de débito já funciona como uma moeda comum.
Na maioria, os “grandes” participantes financeiros gostam do sistema do jeito que ele é agora. Transações de câmbio entre as moedas existentes geram altos rendimentos para as instituições financeiras. Mais importante ainda é que um sistema de muitas moedas permite uma maior reserva financeira para manipulação e jogos nefastos a serem praticados ao redor do mundo.
Será que nós veremos a contínua convergência no número de moedas correntes no mundo? Isto é bem possível. Muitas novas moedas estão no quadro de desenhos. Por exemplo, os seis membros do Conselho de Cooperação do Golfo (GCC) quiseram formar uma moeda única, o khaliji, embora nos últimos momentos os Emirados Árabes Unidos tenham retirado seu apoio. Desde então eles acharam necessário adiar esses planos. Também, uma série de nações asiáticas concordou em acelerar seus planos para formar uma moeda comum. Poderíamos dedicar muitas páginas para documentar outros planos semelhantes ou os pontos de vista favoráveis de vários legisladores globais e economistas. Talvez, de maior significação nos tempos recentes seja a iniciativa das nações do G20 (Grupo dos Vinte) de expandir o uso do DES (direito especial de saque). Esta é uma unidade de princípios teóricos de contabilidade do Fundo Monetário Internacional que há muito representa um tipo de moeda única. Poderia esta ser a nova moeda única do mundo? Em certo sentido, já é, tendo sido apresentada pela primeira vez em sua forma atual em 1969.
Se você estiver aguardando uma nova ordem mundial monolítica ou uma moeda única, seus olhos podem estar fora da ação real.
A despeito do aparente empurrão para harmonizar as moedas correntes, hoje há, na verdade, mais moedas e bancos centrais no mundo do que havia cinqüenta anos atrás. Aproximadamente duzentas moedas diferentes ainda existem. Mas, há um sistema que funciona como uma moeda única mundial de fato? Definitivamente que sim. Existe um sistema de moeda única mundial em funcionamento que é mais do que adequado como ferramenta para uma coalizão de dez nações com o qual se pode ameaçar o mundo.
Tudo que é necessário, neste aspecto, para os acontecimentos dos últimos dias já está operativo exatamente agora. Se você estiver aguardando uma nova ordem mundial monolítica ou uma moeda única, seus olhos podem estar fora da ação real. Você precisa ser como Didi e Gogo da famosa peça de teatro de Beckett, inutilmente esperando que Godot chegasse. Esses acontecimentos não são apenas especificamente desnecessários profeticamente, mas os acontecimentos de real importância podem estar em uma forma inteiramente diferente do que a maioria das pessoas está esperando. Como é a nossa esperança, em todo caso, estamos esperando por algo muito diferente disso tudo: o retorno de Jesus Cristo, que permanece iminente.

Pensamentos para ponderar

Deus nunca permitirá à humanidade dar a desculpa de não ter conhecido a verdade da Sua existência. Ele revela mais àqueles que O buscam e que procuram conhecer a verdade. É o grande prazer de Deus que essas pepitas adicionais da verdade fiquem parcialmente escondidas. Elas são como pérolas preciosas reservadas para os que buscam e pelos de Beréia e não devem ser jogadas diante de escavadores e pensadores relaxados.
O fato estimulante é que toda a informação necessária para entendermos nossos tempos está mais disponível hoje do que jamais esteve. Tudo de que precisamos é um pouquinho de investigação e bom senso. E, temos o imperativo bíblico para fazer assim:“E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as” (Ef 5.11).
O mundo se apega obstinadamente a uma crença no progresso humano sem Deus a despeito dos reveses das guerras mundiais recorrentes, dos desastres naturais, das repetidas atrocidades humanas e das quedas dos ídolos dos sistemas monetários e econômicos.
Todas as realizações do homem – a tecnologia (técnicas de produção, aumento da produtividade) e o acúmulo de riqueza – não são simplesmente resultado do nosso esforço e determinação. Deus é o autor de toda a criação, seus ciclos, suas propriedades naturais, tanto do que há no mundo quanto embaixo da terra e todas as possibilidades da tecnologia. A tecnologia e os sistemas financeiros possuem seus bons usos. Ao contrário, o coração do homem é o problema – a atitude idólatra de autodeterminação e de independência de Deus.
A tecnologia e os sistemas financeiros possuem seus bons usos. Ao contrário, o coração do homem é o problema.
Finalmente, as escolhas da humanidade serão julgadas. Um período de tribulação está adiante. Depois dele, vem a restauração. Isaías confirmou algumas das condições para depois desse tempo. Por exemplo, o sistema monetário baseado na Babilônia será destruído e“Nunca, jamais será habitada, ninguém morará nela de geração em geração” (Is 13.20); o governo das elites e dos ímpios terminará (Is 14.5); condições de paz prevalecerão (Is 14.7) e nenhuma atividade voraz destruirá a terra em sua busca por lucros (Is 14.8).
Aqueles que crêem no Deus de Israel e aceitam o dom da salvação através de Seu Filho cantarão em alta voz: “Digno é o Cordeiro que foi morto de receber o poder, e riqueza, e sabedoria, e força, e honra, e glória, e louvor!” (Ap 5.12).
E, definitivamente, o mundo está procurando um salvador campeão neste exato momento. Assim alardeia o título de uma recente reportagem econômica: “China: o Salvador do Mundo!”[1] A capa da revista Forbes recentemente proclamou em alta voz o título: “O Capitalismo Nos Salvará!” Um famoso jornalista escreveu recentemente: “Estamos salvos. Em meio aos entulhos dos mercados financeiro mundiais, podemos captar uma visão dos fundamentos de uma nova ordem internacional. A grande lição da crise foi aprendida: não podemos escapar de nossa dependência mútua”.[2]. Estes comentários revelam que o mundo está procurando por um salvador econômico, não o Eterno.
Procuramos nosso Salvador em todos os lugares. O apóstolo Paulo disse aos filipenses:“Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo, o qual transformará o nosso corpo de humilhação, para ser igual ao corpo da sua glória” (Fp 3.20-21).
Enquanto o mundo debanda em direção a uma maior interconectividade global e a estados extremos de idolatria comercial em sua busca pela segurança dos grãos e do pão, ele ignora completamente o verdadeiro pão. “Porque o pão de Deus é o que desce do céu e dá vida ao mundo” (Jo 6.33). “Eu sou o pão vivo que desceu do céu; se alguém dele comer, viverá eternamente” (Jo 6.51). (Wilfred Hahn - Chamada.com.br)

OS TEMPLOS CRISTÃOS DA NOVA ERA





Um fenômeno inédito está acontecendo na espiritualização do mundo globalizado. No lugar do estudo sobre o Apocalipse, as grandes lideranças católicas e protestantes estão construindo verdadeiros impérios faraônicos na forma de templos no Brasil. A Bíblia não relata essa expansão, muito pelo contrário. Segundo as escrituras,  o que está por vir é um falso cristianismo. Ora, se existirão falsos sinais  e milagres eles precisam ser realizados em um local centralizado:

Porque se levantarão falsos cristos, e falsos profetas, e farão sinais e prodígios, para enganarem, se for possível, até os escolhidos. (Marcos 13 : 22)

Por esse motivo, a construção desses templos faraônicos está obedecendo a seguinte lei criada pelo cristo cósmico Baha’u’llah:


“K31. Ó povos do mundo! Edificai, em todas as terras, casas de adoração em nome dAquele que é o Senhor de todas as religiões…”*(Kitáb-i-aqdas – Baha’u’llah)

O ápice da ordem mundial de Baha’u’llah é fazer com que os cristãos adorem o seu sinal, nome e número.  Infelizmente isso está acontecendo através da arquitetura e outros símbolos usados pelas igrejas nesses templos. Abaixo temos  alguns exemplos:

1) Templo do RR Soares


O templo  IIGD possui  uma figura geométrica formada por nove triângulos no teto.No bahaismo, religião criada por Baha’u’llah, não importa muito a forma da figura, desde que  ele possua os nove portais que levam para a unicidade.  Abaixo temos uma foto do futuro  templo cristão e do templo bahá’i:





2) Templo do bispo abortista
Resultado de imagem para TEMPLO DE SALOMÃO
O templo de Salomão da IURD possui uma simbologia esotérica que vai além do Bahaismo. Essa igreja fará a transição dos seus cultos para a ordem do templo de Salomão, a mesma que foi criada pelos templários. É por isso que as igrejas recebe o nome de  cenáculos. Cenáculo foi o local da última ceia, justamente onde  o diabo entrou em Judas (entende-se aqui a seita da IURD) para trair  Jesus:

E, após o bocado, entrou nele Satanás. Disse, pois, Jesus: O que fazes, faze-o depressa. (João 13: 27)

A sua construção se assemelha a iniciação das pessoas aos mistérios da maçonaria, onde a falsa arca da aliança é colocada no altar. A arca da aliança esotérica é o artefato mágico que une a maçonaria e a seita da IURD ao cristo cósmico Baha’u’llah. Através desse artefato mágico é que se pretende ampliar o fogo cósmico do batismo com o falso espírito santo.


Abaixo temos uma foto  da cúpula que se assemelha muito ao santuário do Báb.





3) Templo do padre Marcelo

Embora ele seja apenas capacho do Dom Fernando, ele é utilizado para atrair o maior número de fieis pelo mesmo.

A iniciação ao bahaismo está no nome do santuário que é  “Mãe Theotokos”. A tradução literal para a palavra Theotokos é “Mãe portadora de DEUS”. Essa palavra foi declarada como dogma católico durante o Concílio de Êfeso em 431, mesmo diante do protesto feito por Nestório para que usasse a palavra Chistotokos que significa “Mãe de Cristo”.


É aqui que entra a ordem mundial de Baha’u’llah. Seu nome significa a glória de deus e ele recebeu poder através da Rainha dos Céus que inclusive lhe deu esse nome. Por esse motivo, a tradução mais apropriada para o nome do santuário é a “Mãe da Glória de DEUS” ou a “Mãe de Baha’u’llah”.



4) Templo do Valdemiro
Resultado de imagem para CIDADE MUNDIAL
Sinceramente… esse é um dos homens que mais fatura com o evangelho e não investe em nada nas suas ovelha$, alias só em gado. Seus templos são precários, sem infraestrutura como asfalto, higiene e desconfortáveis, mas devido a sua influência na  política o “apóstolo de Cristo” consegue comprar ou subornar um alvará de funcionamento nas prefeituras.

Resultado de imagem para CIDADE MUNDIAL
Como não tem nada que preste nesse templo o único lugar que a ordem mundial de Baha’u’llah  conseguiu infiltrar foi através da logomarca da igreja, pois é o mesmo utilizado para representar a unidade da humanidade pelos baháis.



Fonte: http://apocalipsetotal.files.wordpress.com/2012/10/igreja-mundial2.jpg 

MCG - 666 - Um outro evangelho!

Ministério Internacional Creciendo em Gracias

"Vocês são todos abençoados" diz o líder, ao abrir a reunião. (algum tempo atrás ouvíamos muito esse termo "Tu és um abençoado" numa denominação evangélica com sede no Rio, e não adianta insistir que não vou dizer que o Miguel Ângelo repetia essa frase de ordem na cabeça de seus membros. Não adianta que não vou dizer! Nós somos abençoado por Jesus, mas o chavão era uma palavra de ordem para "os salvos para sempre" que pertenciam a essa seita - A propósito, lembram como se chamava seu ministério? Não lembram?
Vou refrescar sua memória: MISSÃO APOSTÓLICA DA GRAÇA DE DEUS MINISTÉRIO CRESCENDO EM GRAÇA. Hoje ninguém mais fala dessa seita. Porque será heim?)  

Porque Deus lhes pôs nos corações o executarem o intento dele, chegarem a um acordo, e entregarem à besta o seu reino, até que se cumpram as palavras de Deus. Ap. 17: 17

Em seguida, em meio a aplausos e murmúrios de frases nada convencionais, ordena que as pessoas digam que "esteja ativada a mente de Cristo". Apesar de certas frases e a liturgia serem semelhantes à de algumas igrejas evangélicas, todavia, estamos diante de um dos grupos pseudocrístãos mais perigosos que têm surgido nos últimos tempos: o Ministério Creciendo em Gracias (Crescendo em Graça), o qual, daqui por diante, chamaremos de MCG.

Mas ainda que nós, ou um anjo do céu vos pregasse um Evangelho além do que vos pregamos, seja anátema.

Como antes temos dito, assim digo agora de novo, se alguém vos pregar um evangelho além do que recebestes, seja anátema.  Gl. 1: 8 e 9


O MCG se mostra um movimento muito fértil em produzir heresias. Tais desvios doutrinários, por vezes, vêm camuflados com nomes atrativos, como, por exemplo, "cápsulas de graça", que segundo eles, nada mais são do que "o resumo de um fundamento da doutrina da graça que contém a posição tradicional e desviada dos religiosos...".

Neste artigo, pretendemos expor os ensinos pregados por esse movimento para que o povo de Deus, não sejam levados em roda por todo o vento de doutrina, pelo engano dos homens que com astúcia enganam fraudulosamente" (Ef 4:14)

Toda a nossa pesquisa está baseada no site oficial do MCG.

ORIGEM DO MOVIMENTO

Seu idealizador foi o porto-riquenho José Luiz de Jesus Miranda, mais conhecido como "o apóstolo", fundador e líder do MCG. Não nos deteremos em refutar todas as heresias concernentes à sua pessoa, mas somente as heresias que consideramos de maior importância para a manutenção da ortodoxia doutrinária.

A sede mundial do MCG fica em Miami, Flórida, EUA. Fundado por volta de 1986, o movimento chegou ao Brasil dez anos atrás, aproximadamente.(1) Atualmente, a central do movimento por aqui fica em Guadalupe, bairro do Rio de Janeiro, RJ. O MCG alega que está presente em todo o continente americano e na Austrália, perfazendo um total de 24 países. No Brasil, estão fixados em nove Estados, sendo que em São Paulo possui seis igrejas, as quais denominam "centros educativos". Mantêm ainda vários programas de rádio e TV.

UM MOVIMENTO EXCÊNTRICO

Problemas com a hermenêutica

Pesquisando o MCG por meio de seus sermões, testemunhos e credos, fica fácil traçar o perfil doutrinário e a tendência psicológica do grupo. São pessoas que vivem sob a tutela de "revelações". O próprio fundador alega ter recebido sua doutrina diretamente de Jesus: "A fé é uma ciência, olhe, essa ciência ninguém nesta terra conhece [...] nem eu a conhecia. O Senhor me comunicou, pessoalmente...". O MCG usa e abusa de textos bíblicos de maneira inescrupulosa a ponto de truncar determinados versículos a fim de sustentar seus pontos de vista heréticos. Veremos isso nas distorções apresentadas mais adiante.

Problemas com a semântica

Fazem uso de uma semântica enganosa, pois, ao mesmo tempo em que exprimem suas doutrinas usando termos tipicamente cristãos, atribuem, contudo, significados totalmente diferentes, reinterpretando os termos bíblicos. Um exemplo disso é o que eles entendem pela palavra cristão: "... Ser cristão não é receber a Cristo como Salvador ou crer nele, mas, sim, receber e aceitar os ensinos que o apóstolo Paulo deixou como fundamento, e que agora o apóstolo José Luiz de Jesus explica para a edificação do Corpo de Cristo".

SEMELHANÇAS DO MCG COM AS DEMAIS SEITAS

Unicismo

Não acreditam na Trindade. São modalistas. Para eles, Deus é uma só pessoa que se manifestou de três maneiras diferentes (também chamado de sabelianismo). Dizem: "Cremos que Deus é um, e um é o seu nome. O trinitarismo é uma falsa doutrina que pretende separar a pessoa de Jesus Cristo de Deus Pai como dois seres em separado. O unitarismo ensina que é só Jesus. Ao contrário, nós ensinamos que Jesus é também o Pai, o Filho e o Espírito Santo. Três manifestações, porém, um só Deus", semelhante ao que crêem os grupos Tabernáculo da Fé, Voz da Verdade e Igreja Local.

Aniquilacionismo

De forma idêntica às testemunhasde-jeová e aos adventistas do sétimo dia, são aniquilacionistas. Não crêem no inferno de fogo e chegam a afirmar: "Com respeito ao evangelho, quer dizer, às quatorze cartas que Paulo escreveu depois da cruz, nunca mencionou a palavra inferno, isto se deve ao fato de que o inferno não existe".

Reencarnacionismo

Também acreditam na possibilidade da reencarnação: "Veja bem, a reencarnação é um recurso usado por Deus do jeito que Ele quer. Não é uma forma automática na vida do crente. É totalmente regulada por Deus".

Preexistência dos espíritos

Semelhante à crença mórmon, acreditam na preexistência dos espíritos. Na verdade, acreditam que os anjos são nada mais que espíritos sem corpos e os seres humanos, anjos com corpos. Referindo-se aos adeptos do grupo, dizem: "Os membros desta família sabem que existiam em condição de anjos antes da fundação do mundo".

Adão como Satanás

Para eles, Adão foi Satanás encarnado. Ao morrer na cruz, Jesus aniquilou o pecado de Adão que seria a obra do diabo; ou seja, o diabo e o pecado não existem mais, foram aniquilados. "Deus depositou no primeiro homem o espírito de Satanás; ou seja, Adão era Satanás...".

Deificação do homem

Assim como os localistas e os novaerenses, também acreditam que são deuses: "Você é um espírito criado por Deus à sua imagem e semelhança, porque Deus teve filhos, e Deus os chamou de deuses. Diga: SOMOS DEUSES...".

PECULIARIDADES DOUTRINARIAS DO MCG:

· Afirmam que existem dois evangelhos: um falso (o da circuncisão), pregado por Pedro e os demais apóstolos, e outro verdadeiro (o da incircuncisão), pregado por Paulo e agora por José Luiz de Jesus;

· Fazem diferença entre Jesus de Nazaré e Jesus Cristo. Dizem: "É por isso que Paulo ensinava a servir àquele que ressuscitou e não a Jesus de Nazaré, que foi o corpo de Cristo (Rm 7.4). Em outras palavras, servir a Jesus Cristo ressuscitado é colocar-se depois da cruz e imitar a Jesus de Nazaré é colocar-se antes da cruz". E mais: "O evangelho diz que, para darmos fruto para Deus, devemos ser do ressuscitado. Se você é de Jesus de Nazaré dá fruto, porém, para os homens, porque a doutrina que Jesus de Nazaré produz fé fingida".

· Tentam fazer uma antítese entre o evangelho pregado por Paulo e o evangelho pregado pelos demais apóstolos, principalmente Pedro e João. Referindo-se a Pedro, afirmam: "Paulo profeticamente disse: 'Com a minha partida, entrarão lobos vorazes que não perdoarão o rebanho' (At 20.29). E mais: "Que antes da vinda do Senhor se manifestaria a apostasia, o iníquo (2Ts 2.4). Quem se opôs ao sacrifício de Jesus (Mt 16.21-23), quem se opôs ao evangelho de Paulo (Gl 2.1-14)? Pedro, o mesmo que deu a mão a Paulo em sinal de companheirismo e que, em seguida, Paulo repreendeu por ser hipócrita (Gl 2.9-14). Foi por isso que Paulo disse que o mistério da iniqüidade já estava em ação (Pedro), mas havia quem o deteria (Paulo), até que fosse tirado do meio (2Ts 2.7)".

· Referindo-se a João, afirmam, no mesmo fôlego: "Quando um crente é iluminado, ele entende que o diabo já não existe mais, que o pecado foi aniquilado, que está morto à lei, que foi Deus quem o escolheu antes da fundação do mundo, que é santo e está sem mancha diante do Senhor. Do contrário, ele chama esta revelação de blasfêmia, heresia. E mais, porque João não foi iluminado por esta palavra, ele chamou Paulo de anticristo, porque Paulo ensinava a não imitar a Jesus de Nazaré, mas a Jesus Cristo, o ressuscitado (Rm 7.4)". Sustentam, ainda, que somente o apóstolo Paulo recebeu a revelação do evangelho da graça.

· Segundo o MCG, as igrejas cristãs foram somente aquelas fundadas a partir do apóstolo Paulo. As demais, ainda na concepção deles, eram todas seitas judaicas, não tendo nada a ver com o evangelho de Cristo.

· Não batizam, não tomam a santa ceia e não incentivam os membros ao arrependimento de pecados, pois entendem que tudo isso deve ser deixado de lado. Para que possam sustentar tal absurdo, argumentam que essas coisas são apenas rudimentos da doutrina de Cristo que ficaram para trás.

NEOMARCIONISMO

Sem dúvida, o senhor José Luiz pretende reviver, com todo o vigor, as antigas heresias marcionitas. É o neomarcionismo redivivo em pleno século XXI.

Marcião foi um presbítero do século 2° que, no esforço de afastar e eliminar do cristianismo todos os elementos judaicos das Escrituras do Novo Testamento, com o objetivo de "desjudaizar" a religião cristã, elaborou uma depuração dos escritos neotestamentários. Rejeitou os evangelhos de Marcos, Mateus e João. Forjou seu próprio cânone com textos selecionados do evangelho de Lucas e das cartas paulinas, muitas delas mutiladas. Para ele, nenhum dos apóstolos havia entendido perfeitamente a doutrina de Jesus, com a exceção de Paulo. Por isso, Paulo, para Marcião, é o apóstolo por excelência, pois recebeu de Jesus, por revelação, o verdadeiro evangelho. Fazia, ainda, distinção entre o deus mau do Antigo Testamento com o deus bom do Novo Testamento.

Esses ensinamentos são hoje apregoados por José Luiz de Jesus, que os confirma com a seguinte declaração: "Você não pode conhecer a Deus na lei. Imagine você. Esse Deus do Antigo Testamento. Deus não é assim. Esse é um lado de Deus. Esse é o lado mau de Deus, porque Deus é bom e Deus é mau".

É interessante que a semelhança entre os dois sistemas é idêntica até mesmo nos pormenores. É sabido que Marcião foi o primeiro a formular um cânon pessoal, enquanto o senhor José Luiz divide arbitrariamente a Palavra de Deus da seguinte forma: Escrituras (escritos do Antigo Testamento), História (os quatro evangelhos e o livro de Atos) e Evangelho (somente as epístolas paulinas, inclusive Hebreus).

RESPONDENDO ALGUMAS HERESIAS DO MCG

Adão e Satanás são a mesma pessoa?

"Como caíste do céu [...] Como foste lançado por terra..." (Is 14.12-16).

Os adeptos do MCG acreditam que este texto aponta para Adão, o qual seria o próprio Satanás. Dizem que a palavra "cortado", em certa tradução, está errada. O certo seria "foste formado".

Resposta apologética

Antes de tecermos quaisquer comentários sobre isso, é bom lembrar que a Bíblia sempre compara Satanás com a antiga serpente, o dragão, o leão (2Co 11.3,14; Ap 12.9; 20.2), mas nunca com Adão. A serpente é a mesma que tentou Adão e Eva (Gn 3). Portanto, a gênese da queda envolveu três personagens: Adão, Eva e a serpente, influenciada por Satanás. Outro fato que deve ser considerado é que o capítulo inteiro é uma continuação da profecia contra o império da Babilônia (Is 13.1; 14.4). Quem caiu foi o rei da Babilônia (Is 14.8), monarca que debilitava as nações (Is 14.12) e era soberbo (Is 13.19). A história nos relata que os reis babilônicos tinham todas essas características de grandeza (Dn 4.22); mas, por fim,foram abatidos (Cf. Is 14.23 com Is 47.10). O "homem" do qual fala o verso 16 não pode ser Adão, porque, em sua época, não havia reinos ou nações. Adão não tinha cidades e muito menos fazia pessoas cativas (v.17). Mas isso se encaixa perfeitamente com o rei da Babilônia, usado no texto como figura de Satanás.

Pedro foi inimigo de Paulo?

"... Mas há alguns que vos inquietam e querem transtornar o evangelho de Cristo" (Gl 1.6-8).

Declaram que este texto refere-se aos apóstolos, principalmente Pedro, que queriam perverter o evangelho de Paulo.

Resposta apologética

Certamente, o apóstolo Paulo está se referindo à repreensão dada a Pedro em Gálatas 2.11. Mas daí construir uma aversão entre o evangelho de Paulo e o evangelho de Pedro é ser desonesto com o contexto bíblico, até porque este incidente foi tão irrelevante que Lucas não o menciona em seu livro: Atos dos Apóstolos. Havia, na igreja, muitos da circuncisão (At 10.45; 15.5). O próprio Pedro teve problemas com alguns deles (At 11.2). Este incidente, talvez, explique o receio na atitude de Pedro em Gálatas 2.12. O que Paulo condenava, ao que parece, era o fanatismo de alguns (Fl 3.2) e não o ministério da circuncisão que lhes fora confiado (Cl 4.ll). Paulo chega a reconhecer os dois ministérios como sendo de procedência divina (Gl 2.7 ,8). Dois ministérios, mas um mesmo evangelho.

Paulo se submeteu à igreja-mãe, em Jerusalém (At 15.2,3.22), e quando menciona aqueles "que pareciam ser alguma coisa" (G1 2.6), parece referir-se aos mesmos que se diziam da parte de Tiago (Gl 2.12), mas que não foram enviados por este (At 15.24). Paulo, depois do incidente com os da circuncisão em Antioquia, subiu a Jerusalém para decidir sobre essas questões teológicas com os apóstolos e obteve deles todo o apoio, inclusive o de Pedro (At 15. 23-29). Portanto, a censura de Paulo em Gálatas 1.6,7 não é dirigida aos apóstolos, mas aos da falsa circuncisão (Tt 1.10), dos quais Pedro também foi vítima.

Não ao batismo e ao arrependimento?

"...Deixando os rudimentos da doutrina de Cristo..." (Hb 6.1,2).

Acreditam que este texto os isenta do batismo e do arrependimento. O batismo seria um rudimento a ser abandonado de vez pelos cristãos.

Resposta apologética

Mal interpretado pelos adeptos do MCG, o texto em referência não diz o que eles afirmam dizer. O que o escritor está dizendo tem sua razão em Hebreus 5.12-14. Todos os itens alistados nos versos 1 e 2 são os passos iniciais de quem ainda é novo convertido. Em contrapartida, pelo tempo que já estavam no evangelho, deveriam ser mestres. Mas, metaforicamente, ainda estavam se alimentando com "leite"; ou seja, com as primeiras doutrinas cristãs, da necessidade de se arrependerem dos pecados, de se batizarem, de terem fé em Deus, de ouvirem falar que haverá um juízo final, etc., ensinamentos voltados aos novos convertidos e não aos cristãos amadurecidos na fé, no conhecimento e na graça de Deus. Em verdade, já estava na hora de tais cristãos irem além dessas doutrinas e prosseguirem para a maturidade (perfeição) espiritual, tendo em vista as tribulações que estavam passando.

O texto não desobriga nenhum cristão da observância do batismo e das outras doutrinas, antes, está alertando quanto ao perigo de alguém estacionar naquilo que aprendeu. Se negarmos o batismo e o arrependimento, baseados nesse texto, teremos de negar também o juízo final, a fé em Deus e a ressurreição, coisas que os adeptos do MCG ainda crêem estarem em vigor.

Não existe mais pecado?

Pelo fato de não enfatizarem o arrependimento, acabam tolerando algumas práticas imorais. Dizem que não pecamos mais, porque Jesus destruiu nossos pecados de uma vez por todas (Hb 9.26).

Em resposta a uma pergunta relacionada à aceitação de homossexuais no MCG, e se os mesmos, vivendo na imoralidade, teriam a possibilidade de ser salvos, vejamos o que disseram: "Também é importante esclarecer que algumas manifestações carnais (bebedices, práticas homossexuais, iras, etc.) não podem, de maneira nenhuma, afetar a nossa posição em Cristo (Hb 10.14), tampouco afetar a nossa salvação: 'Porque pela graça sois salvos, por meio da fé' (Ef 2.8); as debilidades da carne não são tomadas em conta pelo Senhor, já que Ele vê o nosso crescimento espiritual e não a nossa atividade carnal".

Resposta apologélica

O apóstolo Paulo constantemente incentivava os crentes ao arrependimento (2Co 7.6-10). Além disso, a palavra aniquilar, "athetesis", no texto grego em pauta, não quer dizer destruição. Ela vem de "atheteo", que significa "pôr de lado", "desprezar", "negligenciar", "opor-se à eficácia de alguma coisa", "anular", "tomar sem efeito", "frustrar", "rejeitar", "recusar", "fazer pouco caso". De fato, Jesus anulou os nossos pecados na cruz, mas isto não quer dizer que o homem não peca mais e, por isso, não precisa de arrependimento. Isso não é verdade. O próprio Paulo reconhecia que era pecador (1 Tm 1.15).

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Infelizmente, algumas questões não foi possível responder aqui. O emaranhado de desvios sustentados pelo MCG poderia nos render um livro sobre o grupo. Esgotar o assunto, porém, não foi o nosso objetivo. Como percebemos, o MCG não passa de mais uma seita (entre tantas outras) que está pregando outro evangelho com outro Jesus (2Co 11.4).

O que expusemos neste artigo é uma pequena parte das inúmeras heresias que o movimento propaga, porém, cremos que tal abordagem seja o suficiente para alertar os verdadeiros cristãos, para que não se deixem enganar por "estes ventos de doutrinas" (Ef 4.14), especialmente pela roupagem evangélica que a maioria das seitas apresenta.

Estejamos atentos e engajados na perseguição da graça e do conhecimento de Deus (2Pe 3.18). Esses elementos caminham juntos e é prejudicial à vida cristã privilegiar um em detrimento do outro. O exagero geralmente conduz ao erro. A verdadeira graça, tal como é pregada nas Escrituras, nos conduzirá ao conhecimento, e este, por sua vez, será a ferramenta que sempre utilizaremos para rejeitar toda e qualquer tentativa de distorção da graça divina.

Por Walid Shoebat (Shoebat Exclusive) "Depois se levantará em seu lugar um homem vil, ao qual não tinham dado a dignidade *real; mas ele virá caladamente, e tomará o *reino com engano." DANIELl 11 : 21 O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, não só tem a intenção de reviver o *Império Otomano, mas nesta segunda-feira (8 de dezembro), instituiu a lei para revitalizar a língua morta Otomana e tornar o alfabeto árabe e a língua Otomana obrigatória no ensino turco. O movimento tem um significado bíblico. Antes de explicar as ramificações proféticas, relatórios da Reuters sobre adversários de Erdogan afirmam que tal movimento para alterar o idioma para Otomano é o movimento de Erdogan para se tornar o Sultan (califa) moderno do mundo muçulmano: Os opositores acusam Erdogan de se comportar como um sultão moderno, sua ideologia islamita e intolerância de discordância tendo a Turquia longe de ideais seculares de Ataturk. "Há pessoas que não desejam que a língua otomana seja ensinada e aprendida", Erdogan disse em uma reunião do conselho religioso da Turquia. "Independentemente de saber se eles querem ou não, a língua será ensinada e aprendida neste país." Seus partidários, que o levou à vitória na primeira eleição presidencial popular da Turquia, em agosto, com 52 por cento dos votos, o vê como um campeão das classes trabalhadoras religiosamente conservadoras, levantando-se a uma elite secular. Mustafa Kemal Ataturk, o fundador da Turquia moderna, aboliu o idioma Otomano em 1928, substituindo o alfabeto árabe por outra latina. Também tem purgado o idioma de muitas das palavras árabes, persas e gregas para criar mais de perto uma linguagem "pura" turca para o povo falar. A Reuters e outras agências de notícias informaram sobre a história, mas perdeu o tema principal por trás desta mudança que estava coberto da mídia do Oriente Médio em árabe. Traduzimos aqui o texto: “Ela [Otomana] é a língua do califado [islâmico] e é chamada Otomana em conformidade com a antiga língua turcomana, que era a principal língua do califado Otomano, lado a lado com o árabe, uma língua mista, que reuniu uma quantidade enorme do vocabulário parabe, turco e persa, escrito em alfabeto árabe”. Ninguém no cenário profético supôs isso; a mistura da língua otomana Erdogan está a impor (árabe, turco e persa) é profeticamente vinculado com a Bíblia em Apocalipse 13: 2, que menciona a maior ameaça combinada (besta) ao cristianismo que é a mesma mistura como essa linguagem; Lion (Babilônia / árabe), Urso (persa) e Leopardo (Ásia Menor, Turquia). Alguns podem objetar que a Babilônia (o leão) não é Saudita, mas o Iraque. Mas um olhar mais atento a Babilônia profética dos dias do fim, a Bíblia não faz nenhuma menção de qualquer uma das antigas províncias de Babilônia, Suméria, Acade, Ereque, Calneh, mas " Quedar," e " Dumá ", são, na Arábia, e em seguida, menciona literalmente "Arábia "(cf. Isaías 21, Jeremias 49). Arábia é o bocal muito religioso desta besta [boca de leão], que emana o Islã e o árabe seria a língua mundial que uniria todos os muçulmanos. Arábia e não Roma é a prostituta uma vez que a prostituta é proveniente da ilha deserta (Apocalipse 17: 3) que está sentada sobre muitas águas, o "deserto do mar" (Isaías 21) que João viu. Em Apocalipse 2: 12-13, o Anticristo é dito que governar a partir de Pérgamo (Turquia), que Cristo proclamou seria a futura sede de Satanás. Isto é sobre os lados de terras do Norte (Ásia menor / Turquia). Que com a Pérsia (Irã) temos os principais jogadores de Gogue e Magogue (Ezequiel 38). Erdogan tem mergulhado fundo no controle da lei e tem se posicionado no Conselho Nacional de Educação da Turquia, em grande parte composta por membros apoiados pelo governo de raízes islâmicas de Erdogan que votou para tornar obrigatória aulas da língua otomana em escolas religiosas e uma opção em escolas regulares. O conselho também votou para banir as aulas nos bares em escolas de formação do turismo. Erdogan argumentou que as lições foram necessárias para restaurar a ruptura com "nossas raízes", sendo a maioria incapazes de lerem os túmulos de seus antepassados. "Há aqueles que não querem que isso seja ensinado. Este é um grande perigo. Quer se goste ou não, a língua otomana será aprendida e ensinada neste país”, disse Erdogan numa reunião do conselho religioso em Ancara. "Não é uma língua estrangeira. É uma forma de turco que nunca envelhecerá”. O primeiro-ministro Ahmet Davutoglu atacou os críticos, dizendo: "Por que eles são tão alérgicos a história? Por que esse ódio da cultura? É além da nossa compreensão”. Se o idioma do Anticristo em sua estrutura se encaixa perfeitamente com a restauração das três combinações composta do Anticristo, os estudantes da Bíblia devem tomar nota. Corre um rumor por toda Turquia que Erdogan está claramente tomando seu lugar como Sultan / Califa e construiu um palácio. Alastrando ao longo de quase 74 hectares de terrenos florestais já foi à propriedade privada do fundador da Turquia, Mustafa Kemal Ataturk, um novo complexo presidencial tem cerca de 1.000 quartos, um sistema de túneis subterrâneos e o mais recente em tecnologia anti-espionagem. É maior do que a Casa Branca, o Kremlin e o Palácio de Buckingham: O preço relatou: quase US $ 350 milhões. Para colocar o palácio de Erdogan em contexto, a Casa Branca fica em um terreno que é de 52 hectares no total. O muro Kremlin abrange uma área de 68 acres. O palácio fica em um local que cobre 74 acres. Depois, há um novo jato presidencial de alta tecnologia (preço estimado, US $ 200 milhões), para não mencionar o novo gabinete presidencial em uma mansão da era otomana restaurada com vista para o Bósforo, todos os quais foram adquiridos para servir as ambições exagerados de um homem: o presidente Recep Tayyip Erdogan. Erdogan está no poder há mais de uma década, um político islâmico e primeiro-ministro, que foi muitas vezes apontado como um modelo a seguir no mundo muçulmano por ter conciliado a sua fé com a democracia. Erdogan tomou o poder por intriga. Na Turquia, o presidente é tecnicamente segundo para o primeiro-ministro. Mas, na prática, quando o Sr. Erdogan foi eleito presidente em agosto, ele absorveu o poder e privilégio do posto do primeiro-ministro em sua nova posição. Quanto mais forte o Sr. Erdogan tem crescido, as relações tornaram-se mais tensas com os Estados Unidos. Erdogan usou seu conflito com Washington e os seus inimigos políticos como uma força para ajudar a consolidar o poder, como ele continua a desempenhar as funções associadas com o primeiro-ministro. Ele tem mobilizado sua base conservadora por trás de sua agenda religiosamente infusa, chocando-se com a política dos Estados Unidos para enfrentar os militantes do Estado Islâmico, ao mesmo tempo, culpando a ingerência estrangeira para o crescente catálogo de crises que enfrenta. Como os desafios da Turquia amplificaram - lutando em sua fronteira com a Síria, relações tensas com seus aliados da OTAN, a pressão sobre a economia - a autoridade de Erdogan tem crescido só que mais forte. Em um recente discurso, Erdogan ofereceu uma avaliação apelando para sua base religiosa sunita - e ecoou por militantes com o Estado islâmico - que a crise no Oriente Médio decorre das ações dos britânicos e franceses após a Primeira Guerra Mundial, e as fronteiras traçada entre o Iraque e a Síria sob o pacto de Sykes-Picot. Erdogan invocado Sykes-Picot, dizendo: "cada conflito nesta região foi concebido há um século." Ele sugeriu que um novo enredo estava em andamento, e que "os jornalistas, homens religiosos, escritores e terroristas" eram a reencarnação coletiva de T.E Lawrence, diplomata e espião britânico imortalizado no filme "Lawrence da Arábia". A construção do palácio de Erdogan ainda continua em uma floresta que é terra protegido, ocorreu apesar de decisões por vários tribunais que o desenvolvimento era ilegal. Orhan Kemal Cengiz, um advogado turco e jornalista, disse que Erdogan simplesmente ignorou os tribunais. De maneira característica, o Sr. Erdogan desafiou as autoridades no início deste ano, dizendo: "Se você tem o poder e coragem, então venha e demolir o edifício”. Eles não o fizeram, e Erdogan e sua família em breve passarão a morar lá. *Ele ignora a lei porque Erdogan veio para mudar horários fixos e leis estabelecidas. SOURCE Reuters New York Times As Escrituras falam que o anticristo não honrará o desejo das mulheres e também suscitará ódio contra o Egito (Daniel 11), e as notícias que saem da Turquia mostram que este ódio está em ascensão. O presidente Recep Tayyip Erdogan afirmou que homens e mulheres não são iguais, e ganhou repercussão mundial. Como parece ele não honra o desejo das mulheres. "E não terá respeito ao Deus de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres... E apoderar-se-á dos tesouros de ouro e de prata e de todas as coisas preciosas do Egito; e os líbios e os etíopes o seguirão. Mas os rumores do oriente e do norte o espantarão; e sairá com grande furor, para destruir e extirpar a muitos. E armará as tendas do seu palácio entre o mar grande e o monte santo e glorioso; mas chegará ao seu fim, e não haverá quem o socorra". DANIEL 11: 37a, 44 e 45 Mulheres acorrentadas na Turquia O romance recém-publicado "Kafamda bir Tuhaflik" (algo estranho em minha cabeça) ", na verdade, trata da opressão sofrida pelas mulheres na Turquia .... Se fôssemos criticar a Turquia a partir do exterior, seria o lugar da mulher na sociedade. Se o presidente da Turquia é o anticristo, não podemos afirmar. Este mês o Papa Francisco [por muitos considerado o falso profeta apocalíptico] esteve visitando o Parlamento Europeu e também Erdogan, na Turquia. As Escritura diz que o espírito do anticristo já opera neste mundo. Fiquemos apercebidos quanto aos acontecimentos.


Por Walid Shoebat (Shoebat Exclusive)

"Depois se levantará em seu lugar um homem vil, ao qual não tinham dado a dignidade *real; mas ele virá caladamente, e tomará o *reino com engano.DANIELl 11 : 21

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, não só tem a intenção de reviver o *Império Otomano, mas nesta segunda-feira (8 de dezembro), instituiu a lei para revitalizar a língua morta Otomana e tornar o alfabeto árabe e a língua Otomana obrigatória no ensino turco. O movimento tem um significado bíblico. Antes de explicar as ramificações proféticas, relatórios da Reuters sobre adversários de Erdogan afirmam que tal movimento para alterar o idioma para Otomano é o movimento de Erdogan para se tornar o Sultan (califa) moderno do mundo muçulmano:

Os opositores acusam Erdogan de se comportar como um sultão moderno, sua ideologia islamita e intolerância de discordância tendo a Turquia longe de ideais seculares de Ataturk.

"Há pessoas que não desejam que a língua otomana seja ensinada e aprendida", Erdogan disse em uma reunião do conselho religioso da Turquia. "Independentemente de saber se eles querem ou não, a língua será ensinada e aprendida neste país."

Seus partidários, que o levou à vitória na primeira eleição presidencial popular da Turquia, em agosto, com 52 por cento dos votos, o vê como um campeão das classes trabalhadoras religiosamente conservadoras, levantando-se a uma elite secular.



Mustafa  Kemal  Ataturk,  o  fundador  da  Turquia moderna,  aboliu  o  idioma  Otomano  em  1928, substituindo  o  alfabeto  árabe  por outra  latina. Também  tem purgado  o  idioma  de  muitas  das  palavras árabes,  persas  e gregas  para  criar  mais  de perto uma linguagem "pura" turca para o povo falar.

A Reuters  e  outras  agências  de  notícias  informaram  sobre  a história, mas  perdeu  o  tema  principal  por trás  desta mudança  que  estava  coberto  da  mídia  do  Oriente Médio  em árabe. Traduzimos aqui o texto:

Ela  [Otomana] é a língua do califado [islâmico] e é chamada Otomana em conformidade com a antiga língua turcomana, que era a principal língua do califado Otomano, lado a lado com o árabe, uma língua mista, que reuniu uma quantidade enorme do vocabulário parabe, turco e persa, escrito em alfabeto árabe”.

Ninguém no cenário profético supôs isso; a mistura da língua otomana Erdogan está a impor (árabe, turco e persa) é profeticamente vinculado com a Bíblia em Apocalipse 13: 2, que menciona a maior ameaça combinada (besta) ao cristianismo que é a mesma mistura como essa linguagem; Lion (Babilônia / árabe), Urso (persa) e Leopardo (Ásia Menor, Turquia).



Alguns podem objetar que a Babilônia (o leão) não é Saudita, mas o Iraque. Mas um olhar mais atento a Babilônia profética dos dias do fim, a Bíblia não faz nenhuma menção de qualquer uma das antigas províncias de Babilônia, Suméria, Acade, Ereque, Calneh, mas " Quedar," e " Dumá ", são, na Arábia, e em seguida, menciona literalmente "Arábia "(cf. Isaías 21, Jeremias 49).

Arábia é o bocal muito religioso desta besta [boca de leão], que emana o Islã e o árabe seria a língua mundial que uniria todos os muçulmanosArábia e não Roma é a prostituta uma vez que a prostituta é proveniente da ilha deserta (Apocalipse 17: 3) que está sentada sobre muitas águas, o "deserto do mar" (Isaías 21) que João viu. Em Apocalipse 2: 12-13, o Anticristo é dito que governar a partir de Pérgamo (Turquia), que Cristo proclamou seria a futura sede de Satanás. Isto é sobre os lados de terras do Norte (Ásia menor / Turquia). Que com a Pérsia (Irã) temos os principais jogadores de Gogue e Magogue (Ezequiel 38).

Erdogan tem mergulhado fundo no controle da lei e tem se posicionado no Conselho Nacional de Educação da Turquia, em grande parte composta por membros apoiados pelo governo de raízes islâmicas de Erdogan que votou para tornar obrigatória aulas da língua otomana em escolas religiosas e uma opção em escolas regulares. O conselho também votou para banir as aulas nos bares em escolas de formação do turismo.

Erdogan argumentou que as lições foram necessárias para restaurar a ruptura com "nossas raízes", sendo a maioria incapazes de lerem os túmulos de seus antepassados. "Há aqueles que não querem que isso seja ensinado. Este é um grande perigo. Quer se goste ou não, a língua otomana será aprendida e ensinada neste país”, disse Erdogan numa reunião do conselho religioso em Ancara. "Não é uma língua estrangeira. É uma forma de turco que nunca envelhecerá”.

O primeiro-ministro Ahmet Davutoglu atacou os críticos, dizendo: "Por que eles são tão alérgicos a história? Por que esse ódio da cultura? É além da nossa compreensão”.

Se o idioma do Anticristo em sua estrutura se encaixa perfeitamente com a restauração das três combinações composta do Anticristo, os estudantes da Bíblia devem tomar nota.

Corre um rumor por toda Turquia que Erdogan está claramente tomando seu lugar como Sultan / Califa e construiu um palácio. Alastrando ao longo de quase 74 hectares de terrenos florestais já foi à propriedade privada do fundador da Turquia, Mustafa Kemal Ataturk, um novo complexo presidencial tem cerca de 1.000 quartos, um sistema de túneis subterrâneos e o mais recente em tecnologia anti-espionagem. É maior do que a Casa Branca, o Kremlin e o Palácio de Buckingham:


O preço relatou: quase US $ 350 milhões. Para colocar o palácio de Erdogan em contexto, a Casa Branca fica em um terreno que é de 52 hectares no total. O muro Kremlin abrange uma área de 68 acres. O palácio fica em um local que cobre 74 acres.

Depois, há um novo jato presidencial de alta tecnologia (preço estimado, US $ 200 milhões), para não mencionar o novo gabinete presidencial em uma mansão da era otomana restaurada com vista para o Bósforo, todos os quais foram adquiridos para servir as ambições exagerados de um homem: o presidente Recep Tayyip Erdogan.

Erdogan está no poder há mais de uma década, um político islâmico e primeiro-ministro, que foi muitas vezes apontado como um modelo a seguir no mundo muçulmano por ter conciliado a sua fé com a democracia.

Erdogan tomou o poder por intriga. Na Turquia, o presidente é tecnicamente segundo para o primeiro-ministro. Mas, na prática, quando o Sr. Erdogan foi eleito presidente em agosto, ele absorveu o poder e privilégio do posto do primeiro-ministro em sua nova posição. Quanto mais forte o Sr. Erdogan tem crescido, as relações tornaram-se mais tensas com os Estados Unidos.



Erdogan usou seu conflito com Washington e os seus inimigos políticos como uma força para ajudar a consolidar o poder, como ele continua a desempenhar as funções associadas com o primeiro-ministro. Ele tem mobilizado sua base conservadora por trás de sua agenda religiosamente infusa, chocando-se com a política dos Estados Unidos para enfrentar os militantes do Estado Islâmico, ao mesmo tempo, culpando a ingerência estrangeira para o crescente catálogo de crises que enfrenta. Como os desafios da Turquia amplificaram - lutando em sua fronteira com a Síria, relações tensas com seus aliados da OTAN, a pressão sobre a economia - a autoridade de Erdogan tem crescido só que mais forte.

Em um recente discurso, Erdogan ofereceu uma avaliação apelando para sua base religiosa sunita - e ecoou por militantes com o Estado islâmico - que a crise no Oriente Médio decorre das ações dos britânicos e franceses após a Primeira Guerra Mundial, e as fronteiras traçada entre o Iraque e a Síria sob o pacto de Sykes-Picot. Erdogan invocado Sykes-Picot, dizendo: "cada conflito nesta região foi concebido há um século." 

Ele sugeriu que um novo enredo estava em andamento, e que "os jornalistas, homens religiosos, escritores e terroristas" eram a reencarnação coletiva de T.E Lawrence, diplomata e espião britânico imortalizado no filme "Lawrence da Arábia".

A construção do palácio de Erdogan ainda continua em uma floresta que é terra protegido, ocorreu apesar de decisões por vários tribunais que o desenvolvimento era ilegal.



Orhan Kemal Cengiz, um advogado turco e jornalista, disse que Erdogan simplesmente ignorou os tribunais.

De maneira característica, o Sr. Erdogan desafiou as autoridades no início deste ano, dizendo: "Se você tem o poder e coragem, então venha e demolir o edifício”.

Eles não o fizeram, e Erdogan e sua família em breve passarão a morar lá.

*Ele ignora a lei porque Erdogan veio para mudar horários fixos e leis estabelecidas.

SOURCE
Reuters
New York Times

As Escrituras falam que o anticristo não honrará o desejo das mulheres e também suscitará ódio contra o Egito (Daniel 11), e as notícias que saem da Turquia mostram que este ódio está em ascensão.  O presidente Recep Tayyip Erdogan afirmou que homens e mulheres não são iguais, e ganhou repercussão mundial. Como parece ele não honra o desejo das mulheres.

"E não terá respeito ao Deus de seus pais, nem terá respeito ao amor das mulheres... E apoderar-se-á dos tesouros de ouro e de prata e de todas as coisas preciosas do Egito; e os líbios e os etíopes o seguirão. Mas os rumores do oriente e do norte o espantarão; e sairá com grande furor, para destruir e extirpar a muitos. Earmará as tendas do seu palácio entre o mar grande e o monte santo e glorioso; mas chegará ao seu fim, e não haverá quem o socorra". DANIEL 11: 37a, 44 e 45

Mulheres acorrentadas na Turquia


 romance recém-publicado "Kafamda bir Tuhaflik" (algo estranho em minha cabeça) ", na verdade, trata da opressão sofrida pelas mulheres na Turquia .... Se fôssemos criticar a Turquia a partir do exterior, seria o lugar da mulher na sociedade. 

Se o presidente da Turquia é o anticristo, não podemos afirmar. Este mês o Papa Francisco [por muitos considerado o falso profeta apocalíptico] esteve visitando o Parlamento Europeu e também Erdogan, na Turquia. As Escritura diz que o espírito do anticristo já opera neste mundo. Fiquemos apercebidos quanto aos acontecimentos.