sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Colisor de Hádrons


          O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,lhc-nao-vai-destruir-a-terra-conclui-relatorio-de-seguranca,193604O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,lhc-nao-vai-destruir-a-terra-conclui-relatorio-de-seguranca,193604O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,lhc-nao-vai-destruir-a-terra-conclui-relatorio-de-seguranca,193604O material jornalístico produzido pelo Estadão é protegido por lei. Para compartilhar este conteúdo, utilize o link:http://ciencia.estadao.com.br/noticias/geral,lhc-nao-vai-destruir-a-terra-conclui-relatoriGrande Colisor de Hádrons está quase pronto para 2ª etapa de funcionamento. 






O Grande Colisor de Hádrons, usado pela primeira vez em 10 de setembro de 2008, é um túnel de imãs supercondutores de 27 quilômetros de extensão, localizado na fronteira da Suíça com a França.
Para prepará-lo outra vez para ser ligado, os cientistas tiveram que iniciar os dispositivos para esfriar o equipamento até 1,9 graus acima do zero absoluto (-273,15 graus centígrados).
Depois da manutenção e das melhorias realizadas, o CERN espera que o acelerador alcance uma energia até duas vezes superior a do primeiro período de funcionamento.
Segundo comunicado do CERN publicado hoje, há três dias os imãs de um dos setores do acelerador foram postos sob tensão com sucesso e atingiram o nível necessário produzir colisões com um total de 6,5 TeV (teraelétronvolts) de energia.
Esses são os números previstos a partir de março, de modo que o choque de prótons que circulam em direções opostas deve produzir uma energia de 13 TeV.ou seja 14  trilhões de elétronvolts .

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

O SONHO NÃO DEVE PASSAR DE UMA NOITE

Um camarada trabalhava há 30 anos numa fábrica, ele saía da fábrica todo dia para encontrar os amigos, ir ao cinema, encontrar mulheres... Ia pra casa. Fazia isso todo dia.
Há 30 anos...

Um dia ele faz tudo isso, chega em casa, dorme e tem um sonho. Acordou, não ligou e foi trabalhar, fez tudo o que tinha para fazer, voltou, foi pra casa, dormiu e teve o mesmo sonho.

Era uma nebulosa que estava se transformando num coração e ele queria ver até onde ia esse coração...

A formação de um peito juvenil... Ele acordou. Foi trabalhar. Já não conversou tanto com as pessoas quando saiu do emprego pra ir pra casa. Dormiu e sonhou o mesmo sonho.

Então aparece o peito de um rapaz, a perna de um rapaz o braço de um rapaz... Ele acordou. Foi trabalhar... Saiu correndo do emprego pra chegar em casa e dormir... O sonho continuava, tinha o sexo de um rapaz, a cara de um rapaz.. Ele acordou.

Foi trabalhar, pediu pra sair mais cedo, era um grande funcionário, permitiram, foi correndo pra casa... ai o garoto falou e ele acordou.

Foi trabalhar e pediu pra trabalhar só de manha. Começou a conversar com o rapaz... Então pediu demissão da fábrica pra só dormir e sonhar.. E ficou mostrando as ruas e as mulheres... pro rapaz... Até que um dia o rapaz falou assim:

- "Eu tenho uma namorada, você sabe, eu fui a casa dos pais dela me aceitaram como noivo dela e querem que eu case com ela, mas eles querem conhecer minha família...você pode me dizer quem é a minha família?".

No sonho ele disse:

- Pra dizer quem é a sua família eu vou ter que acordar e procurar saber qual é a minha...

Acordou e começou a procurar... Foi ai que ele percebeu que ele próprio também era o sonho de um outro."

Sobre o autor: 

Jorge Luis Borges, escritor, poeta, tradutor, crítico e ensaísta argentino, mundialmente conhecido por seus contos e histórias curtas. Nas suas narrativas figuram os "delírios do racional", abordando temática como filosofia, metafísica, teologia e mitologia.

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

RUSSIA E CHINA







Rússia e China: de mãos dadas!








Agora é pra valer e pra todo mundo ver!

Estados Unidos e União Européia que se cuidem!

"Notícias: Maio de 2014":


"RÚSSIA E CHINA TEM GRANDES PLANOS DE


 COOPERAÇÃO MILITAR"  

Por Vassili Kashin

21, Maio/2014

A Rússia e a China irão desenvolver a cooperação técnico-militar e os contatos à nível de Ministérios da Defesa, foi o acordo a que chegaram os dois líderes dos dois países durante a visita de Vladimir Putin à China.

Essa cooperação é um importante fator para a estabilidade e segurança na região e em todo o mundo, sublinhou o presidente russo no final das conversações com o seu homólogo chinês Xi Jinping, realizadas em Xangai.

As visitas russo-chinesas ao mais alto nível nunca são acompanhadas de informações sobre novos contratos na área da cooperação técnico-militar. 

As questões práticas raramente são refletidas nos documentos finais, eles apenas sublinham a importância da cooperação nessa área. O acontecimento fundamental para a cooperação técnico-militar russo-chinesa são os encontros da comissão intergovernamental para a cooperação militar, cujos copresidentes são os ministros da Defesa. Esses encontros se realizam normalmente em outubro-novembro de cada ano.

Apesar de durante os encontros ao mais alto nível não se realizarem acordos concretos na área do comércio de armamento, os líderes dos dois países poderão abordar, durante as conversações, as dificuldades existentes na concretização de projetos ou acordar a abordagem de novas áreas. Neste momento há dois grandes negócios que estão numa fase mais desenvolvida: os fornecimentos à China de 24 caças Su-35 e de uma remessa de sistemas de mísseis antiaéreos S-400 (possivelmente até 12 divisões).

A dinamização da evolução dos trabalhos no âmbito desses dois acordos já se tinha notado nos meses anteriores. Até ao fim do ano poderão surgir os contratos e até meados de 2016 poderão ser realizados os primeiros fornecimentos. É possível que os líderes dos dois países se tenham conseguido entender para acelerar um pouco os trabalhos nessa direção. 

Simultaneamente prosseguem os trabalhos no projeto do fornecimento à China de quatro submarinos da classe Amur-1650, sendo dois deles construídos na Rússia e dois na China. Depois de terminada a definição do equipamento técnico dos submarinos, se pode igualmente esperar a assinatura desse contrato.

As futuras conversações poderão abordar os fornecimentos à China de novos equipamentos ou tecnologias. Aqui podem surgir problemas devido a vários tipos de limitações políticas e receios de fuga de tecnologias. Poderá se tratar de usinas nucleares flutuantes desenvolvidas na Rússia e que utilizam reatores navais modificados. Neste momento a China está desenvolvendo, ela própria, reatores nucleares para o seu futuro porta-aviões. Também é possível negociação do fornecimento à China de reatores nucleares para sondas espaciais. Esses reatores poderão ser úteis para os satélites de reconhecimento equipados com radares potentes.

Tendo em conta a dinâmica da construção das forças estratégicas nucleares, não se deve excluir a hipótese de a China estar interessada em tecnologias russas usadas na construção de sistemas de alerta precoce contra ataques de mísseis (BMEWS). A construção de um sistema próprio de alerta permitiria aos chineses aumentar consideravelmente a capacidade de sobrevivência das suas próprias forças nucleares e conceder-lhes a capacidade de realizar um ataque de resposta precoce.

No caso de uma resposta precoce, os mísseis são lançados depois do lançamento dos mísseis inimigos, mas antes de eles atingirem os alvos no território atacado. Isso, em princípio, permite reduzir a probabilidade de o inimigo lançar um ataque preventivo. Provavelmente, terão perspetivas de desenvolvimento quaisquer tecnologias relacionadas com armamentos submarinos, que neste momento são uma das prioridades da marinha chinesa.

Nas atuais condições da situação política, poderá ser discutida provavelmente a correção da anterior abordagem cautelosa, por parte da Rússia, da cooperação técnico-militar com a China. É possível que a importância deste encontro ao mais alto nível seja precisamente o registrar dessa nova realidade, enquanto os acordos específicos deverão ser abordados nos meses seguintes durante 2014.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Antes que eles cresçam

 (COMUNIDADE CRISTÃ BETH-SHALOM) MURITIBA-BA


Antes que eles cresçam

Há um período em que os pais vão ficando órfãos de seus próprios filhos.
É que as crianças crescem independentes de nós, como árvores tagarelas e pássaros estabanados.
Crescem sem pedir licença à vida.
Crescem com uma estridência alegre e, às vezes com alardeada arrogância.
Mas não crescem todos os dias, de igual maneira, crescem de repente.
Um dia sentam-se perto de você no terraço e dizem uma frase com tal maneira que você sente que não pode mais trocar as fraldas daquela criatura.
Onde é que andou crescendo aquela danadinha que você não percebeu?
Cadê a pazinha de brincar na areia, as festinhas de aniversário com palhaços e o primeiro uniforme do maternal?
A criança está crescendo num ritual de obediência orgânica e desobediência civil. E você está agora ali, na porta da discoteca, esperando que ela não apenas cresça, mas apareça...
Ali estão muitos pais ao volante, esperando que eles saiam esfuziantes e cabelos longos, soltos.
Entre hambúrgueres e refrigerantes nas esquinas, lá estão nossos filhos com uniforme de sua geração.
Esses são os filhos que conseguimos gerar e amar, apesar dos golpes dos ventos, das colheitas, das notícias, e da ditadura das horas.
E eles crescem meio amestrados, observando e aprendendo com nossos acertos e erros.
Principalmente com os erros que esperamos que não se repitam.Há um período em que os pais vão ficando um pouco órfãos dos filhos.Não mais os pegaremos nas portas das discotecas e das festas.Passou o tempo do ballet, do inglês, da natação e do judô.Saíram do banco de trás e passaram para o volante de suas próprias vidas.Deveríamos ter ido mais à cama deles ao anoitecer para ouvirmos sua alma respirando conversas e confidências entre os lençóis da infância, e os adolescentes cobertores daquele quarto cheio de adesivos, posters, agendas coloridas e discos ensurdecedores.
Não os levamos suficientemente ao Playcenter, ao shopping, não lhes demos suficientes hambúrgueses e refrigerantes, não lhes compramos todos os sorvetes e roupas que gostaríamos de ter comprado.Eles cresceram sem que esgotássemos neles todo o nosso afeto.No princípio iam à casa de praia entre embrulhos, bolachas, engarrafamentos, natais, páscoas, piscinas e amiguinhos.
Sim havia as brigas dentro do carro, a disputa pela janela, os pedidos de chicletes e cantorias sem fim.
Depois chegou o tempo em que viajar com os pais começou a ser um esforço, um sofrimento, pois era impossível deixar a turma e os primeiros namorados.
Os pais ficaram exilados dos filhos. Tinham a solidão que sempre desejaram, mas, de repente, morriam de saudades daqueles "abusadinhos".
Chega o momento em que só nos resta ficar de longe torcendo e orando  muito para que eles acertem nas escolhas em busca da felicidade.
E que a conquistem do modo mais completo possível.
O jeito é esperar: qualquer hora podem nos dar netos.
O neto é a hora do carinho ocioso e estocado, não exercido nos próprios filhos e que não pode morrer conosco.
Por isso os avós são tão desmesurados e distribuem tão incontrolável carinho.
Os netos são a última oportunidade de reeditar o nosso afeto.

Por isso é necessário fazer alguma coisa a mais, antes que eles cresçam.

segunda-feira, 23 de junho de 2014

EU TENHO MEDO.




Eu tenho medo de crescer... de crescer para fora
 e não para dentro...eu tenho  medo de crescer aos 
seus olhos e fugir de mim e se perder de mim... 
não!! eu não quero crescer !!! eu quero que ele 
cresça em mim (João 3:30) eu não quero crescer 
e ser escravo desse crescimento, e negar o que sou 
e me trouce até aqui... não quero me esconder do 
meu passado frente a esse ''crescimento'', não quero
 esconder as minhas fotos que bem dirão de onde 
vim  , eu tenho medo de me perder e não ser mas Eu....
 de ser fruto de um crescimento que não seja Eu, 
 não amigo não sou covarde!!! ... não esse crescimento
 que te roubou de nós eu não quero... esse cresci-mento que torna as pessoas em uma pessoa que nem elas se reconhecem... se você  chama isso de crescimento eu o chamo de destruição da essência do seu EU Interior....um ser estereotipado fruto de uma sociedade hipócrita que mata.  (Flávio S. Silva)